Fevereiro Roxo Laranja, a CON apoia essa causa!

Você já ouviu falar sobre a campanha Fevereiro Roxo Laranja? Se caso ainda não, iremos falar sobre isso hoje para que você possa se conscientizar e apoiá-la junto com a CON!

A campanha Fevereiro Roxo Laranja é voltada para a conscientização e tratamento de algumas doenças. A cor roxa conscientiza sobre Lúpus, Alzheimer e Fibromialgia. Já a cor laranja alerta sobre a Leucemia.

Leucemia: é um tipo de câncer com início na medula óssea que pode acometer desde crianças até idosos. A Leucemia se desenvolve na medula óssea, no qual produz três tipos de células sanguíneas: células vermelhas que contêm hemoglobina e são responsáveis por transportar oxigênio pelo corpo; células brancas que combatem infecções e plaquetas que auxiliam a coagulação sanguínea.

A causa exata da leucemia não é conhecida, mas ela é influenciada por fatores genéticos e ambientais. Como outros tipos de câncer, as leucemias resultam de mutações somáticas no DNA, as quais podem ocorrer espontaneamente ou devido à exposição à radiação ou substâncias cancerígenas, e tem sua probabilidade influenciada por fatores genéticos. Apenas em 2018, a estimativa foi de 10.800 novos casos, sendo 5.940 homens e 4.860 mulheres, segundo o Instituto Nacional do Cancer (INCA).  Existem mais de 12 tipos de leucemia: os quatro primários são leucemia mieloide aguda (LMA), leucemia mieloide crônica (LMC), leucemia linfocítica aguda (LLA) e leucemia linfocítica crônica (CLL).

Tratamento – O tratamento deve ser moldado de acordo com o tipo de leucemia e características do paciente.

Fibromialgia: é uma doença reumática caracterizada por dor muscular crônica e generalizada podendo evoluir para incapacidade física. Em função da inexistência de alterações orgânicas, a presença de fatores psicológicos como estresse, ansiedade, depressão, inassertividade e crenças irracionais parecem influenciar seu início e manutenção. Os resultados revelaram que as três técnicas possibilitaram a redução do nível de estresse; a diminuição da ansiedade e depressão e o desenvolvimento da assertividade.

De acordo com a Sociedade Brasileira de Reumatologia, de cada 10 pacientes com a doença, sete a nove são mulheres. A doença é caracterizada por dor muscular difusa, fadiga, rigidez muscular, dor após esforço físico e anormalidades do sono, podendo também haver sintomas de depressão, ansiedade, deficiência de memória, desatenção, dor de cabeça, tontura, vertigens, dormências, entre outros sintomas não relacionados ao aparelho locomotor.

Tratamento – A origem dessa doença permanece obscura, e, por isso, não há exames diagnósticos e tratamento específicos.

Lúpus: O Lúpus Eritematoso Sistêmico (LES ou apenas lúpus) é uma doença inflamatória crônica de origem autoimune (o próprio organismo ataca órgãos e tecidos). São reconhecidos dois tipos principais de lúpus: o cutâneo, que se manifesta apenas com manchas na pele (geralmente avermelhadas ou eritematosas e daí o nome lúpus eritematoso), principalmente nas áreas que ficam expostas à luz solar (rosto, orelhas, colo (“V” do decote) e nos braços) e o sistêmico, no qual um ou mais órgãos internos são acometidos.

Sintomas:

– Lesões de pele: as lesões mais características são lesões avermelhadas em maçãs do rosto e dorso do nariz;
– dor e inchaço, principalmente nas articulações das mãos;
– Inflamação de pleura ou pericárdio (membranas que recobrem o pulmão e coração);
– Inflamação no rim;
– Alterações no sangue podem ocorrer em mais da metade dos casos: diminuição de glóbulos vermelhos (anemia), glóbulos brancos (leucopenia), dos linfócitos (linfopenia) ou de plaquetas (plaquetopenia);
– Menos frequentemente observam-se inflamações no cérebro, causando convulsões, alterações do comportamento (psicose) ou do nível de consciência e até queixas sugestivas de comprometimento de nervos periféricos;
– Inflamações de pequenos vasos (vasculites) podem causar lesões avermelhadas e dolorosas em palma de mãos, planta de pés, no céu da boca ou em membros;
– Queixas de febre sem ter infecção, emagrecimento e fraqueza são comuns quando a doença está ativa;
– Manifestações nos olhos, aumento do fígado, baço e gânglios também podem ocorrer em fase ativa da doença.

Tratamento – O tratamento do LES depende da manifestação apresentada por cada um dos pacientes, portanto, deve ser individualizado. Seu objetivo é permitir o controle da atividade da doença, a minimização dos efeitos colaterais dos medicamentos e uma boa qualidade de vida aos seus portadores.

Mal de Alzheimer: A Doença de Alzheimer é a forma mais comum de demência neurodegenerativa em pessoas de idade. A causa é desconhecida, mas acredita-se que seja geneticamente determinada.

A doença instala-se quando o processamento de certas proteínas do sistema nervoso central começa a dar errado. Surgem, então, fragmentos de proteínas mal cortadas, tóxicas, dentro dos neurônios e nos espaços que existem entre eles.

O Mal de Alzheimer ou Doença de Alzheimer é um transtorno neurodegenerativa de evolução lenta e progressiva, a doença afeta aproximadamente 10% dos indivíduos com idade superior a 65 anos e 40% dos indivíduos acima de 80 anos. Segundo o Ministério da Saúde, é a forma mais comum de demência em idosos, sendo responsável por mais da metade dos casos.

Tratamento – A doença é incurável. O objetivo do tratamento é retardar a evolução e preservar por mais tempo possível as funções intelectuais. Os melhores resultados são obtidos quando o tratamento é iniciado nas fases mais precoces.

Fonte dos dados: Biblioteca Virtual em Saúde – MINISTÉRIO DA SAÚDE

Links para acessar maiores informações sobre cada uma das doenças:

https://bvsms.saude.gov.br/lupus/

https://bvsms.saude.gov.br/doenca-de-alzheimer-3/

https://bvsms.saude.gov.br/fibromialgia-3/

https://www.saude.go.gov.br/biblioteca/7633-leucemia

Conscientização de doenças crônicas sem cura

A campanha do Fevereiro Roxo foi criada em 2014, na cidade de Uberlândia em Minas Gerais. Seu lema é: “se não houver cura, que ao menos haja conforto”, referindo-se a importância de proporcionar conforto e tranquilidade aos portadores das doenças crônicas.

Colocar um holofote sobre a existência dessas doenças é fundamental para o incentivo a realizar exames de rotina e a atenção sobre os sintomas, o diagnóstico precoce sempre aumentará as chances de cura e/ou qualidade de vida.

A CON te incentiva a apoiar essa causa e, principalmente, dar atenção para sua saúde e conscientizar quem você conhece!

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp