Governo lança programa para incentivar concessão de autorizações ferroviárias e investimentos

Ministro Paulo Guedes participou do lançamento do Setembro Ferroviário nesta quinta-feira (2/9)

O ministro da Economia, Paulo Guedes, participou na tarde desta quinta-feira (2/9) da cerimônia de lançamento das autorizações ferroviárias, denominada Setembro Ferroviário. Durante todo este mês o governo federal – por meio do Ministério da Infraestrutura – promoverá ações com o objetivo de atrair novos investimentos para as ferrovias brasileiras.

“O ministro Tarcísio Freitas está criando toda esta nova vertente ferroviária e isso vai derrubar o custo de logística e aumentar a competitividade. Está fazendo uma revolução”, afirmou o ministro. Somente nesta quinta (2/9), o governo recebeu 10 pedidos para construção de ferrovias por meio do regime de autorização estabelecido pela Medida Provisória nº 1.065/2021. Juntas, as solicitações visam à construção de 3,3 mil quilômetros de novos trilhos, com investimentos que somam R$ 53,5 bilhões.

Para Paulo Guedes, o movimento das autorizações é uma mudança de eixo muito importante, porque antes as visões dos leilões eram de arrecadação, arrecadar para o governo abater dívida.

O ministro reiterou que o Brasil está retomando seu crescimento e transformando o que era uma recuperação cíclica baseada no consumo em crescimento sustentável. “Em pouco tempo achamos o nosso eixo de sustentação no Congresso. Aprovamos o Banco Central independente, a lei de falências, do gás natural e do saneamento. Todas estas desregulamentações permitem a mobilização de dezenas de bilhões por ano”, ressaltou Guedes.

Segundo o ministro, muita gente está duvidando do crescimento futuro do Brasil. No entanto, Guedes destacou que o país tem até o momento R$ 544 bilhões contratados para os próximos 10 anos. “Vamos retomar o crescimento, seguimos confiantes na determinação do governo, na capacidade de articulação. Agradecemos a colaboração e apoio do Congresso”, finalizou o ministro da Economia.

Fonte: Ministério da Economia

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp