Investimentos em infraestrutura levam Brasil para melhor posição em ranking de competitividade

No primeiro semestre de 2020, mesmo com a pandemia do coronavírus, os investimentos em infraestrutura no Brasil somaram R$ 3,5 bilhões. Em 2021, a previsão é de novas parcerias com o setor privado, com a estimativa de cerca de R$ 100 bilhões em investimentos no País.
Na previsão do ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, entre os ativos que mais devem chamar a atenção estão o leilão de 22 aeroportos; o arrendamento de dois terminais de líquidos do Porto de Santos e a concessão de rodovias no Paraná e da Nova Dutra, entre o Rio de Janeiro e São Paulo.

“Nós temos os elementos para que os investidores venham. É claro que eles estão ‘machucados’ em função da pandemia, mas eles estão buscando alternativas que sejam seguras”, afirmou o ministro Tarcísio.

Em 2019, foram realizados 33 leilões de projetos de infraestrutura. No primeiro semestre de 2020, mesmo com a pandemia do coronavírus, os investimentos no setor somaram R$ 3,5 bilhões.

Ranking de competitividade

Esses investimentos fizeram com que o Brasil melhorasse sua posição no ranking de competitividade do Fórum Econômico Mundial. Em pesquisa de opinião sobre a infraestrutura de transporte, conduzida pela Fundação Dom Cabral, empresários brasileiros apontaram melhoras nos quatro indicadores utilizados.
A eficiência dos serviços aeroviários teve um salto de 18 posições (de 85 para 67), seguida da eficiência dos serviços portuários, que ganhou 13 posições (104 para 91). A qualidade das rodovias brasileiras melhorou oito posições (116 para 108), enquanto a eficiência das ferrovias melhorou uma posição (86 para 85).
Fonte: Casa Civil

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp