Laboratório de Inovação reinventa modelos de trabalho para servidores

A inovação inspira iniciativas semelhantes em outros órgãos

A Secretaria de Gestão e Desempenho de Pessoal (SGP) da Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital (SEDGG) do Ministério da Economia (ME) criou um laboratório de gestão inovadora de pessoas com o objetivo de dar aos servidores de toda a Administração Pública federal a oportunidade de atuar eventualmente em projetos específicos, fora de suas áreas de lotação. Este é o princípio do LA-BORA!gov, que seleciona os servidores interessados por meio de edital ou inscrição voluntária.

As duas modalidades do LA-BORA!gov dispensam ritos burocráticos e não geram qualquer custo para a Administração Pública, sem que seja rompido o vínculo com a unidade de exercício original. Baseiam-se em acordos informais entre os atores envolvidos (servidores, respectivas chefias e LA-BORA!gov). O Time Volante, que é uma das modalidades, é composto por servidores selecionados por edital que atuam, duas vezes por semana, em projetos específicos do laboratório.

Já o Free-LA! é composto por servidores que se cadastram voluntariamente no banco de colaboradores e que eventualmente podem ser convidados a atuar, de acordo com suas competências e interesses, em projeto ou serviço específicos.

As duas modalidades são apresentadas, a partir das principais informações e do depoimento de participantes, em vídeo no canal do ME no YouTube.

De acordo com depoimentos dos participantes, os servidores que atuam no LA-BORA!gov melhoram suas experiências no trabalho, constroem redes, disseminam os aprendizados em seus órgãos de origem e oxigenam ideias no serviço público. Esse ganho se reflete em mais engajamento e motivação, além do aumento na produtividade.

Para se cadastrar na equipe no Free-LA!, basta preencher o formulário

Contexto de criação das modalidades

Desde o início do laboratório, em dezembro de 2019, foram encontradas dificuldades para montar uma equipe de colaboradores. O cenário típico é a atuação de servidores moldada por regras rígidas, em que geralmente as atividades são direcionadas a atribuições muito específicas. Há ainda as barreiras burocráticas à movimentação de pessoas entre os órgãos do governo.

Neste cenário, que foi construído em grande parte a partir de ideias dos servidores, chegou-se a uma conclusão: no serviço público não faltam competências, interesse ou vontade de aprender por parte dos servidores. Há espaço para um modelo mais flexível e desburocratizado, que melhor harmonize as necessidades da Administração Pública às competências disponíveis. Surgiu a indagação: como é possível criar modelos de trabalho simplificados e desburocratizados, que ampliem as possibilidades de atuação para os servidores e os engaje a gerar valor público? E foi justamente deste questionamento que surgiram as modalidades de trabalho do LA-BORA!gov: o Time Volante e o Free-LA!.

A experiência acumulada no primeiro ano

A avaliação dos que atuaram como Free-LA! – que é banco com mais de 150 colaboradores inscritos, vinculados a mais de 30 órgãos e entidades diferentes – constatou os seguintes resultados: 92% consideram a experiência “excelente” enquanto 8% a consideraram “boa”; ninguém avaliou como “regular” ou “ruim”; 100% voltaria a participar – em atuações que alcançam atividades de pesquisa, planejamento, elaboração, facilitação, palestras em oficinas, apoio em eventos, produção e edição de vídeos, e produção de materiais.

Foi criado um “Mapa de Insights” a partir dos comentários anônimos nos formulários de avaliação, cujo objetivo é, a partir dos “feedbacks” e da perspectiva dos usuários, identificar oportunidades de ação na contínua busca por melhoria do serviço do laboratório.

Estão entre os principais “insights” do mapa: as pessoas querem parar de imitar máquinas em seu trabalho para desenvolver e colocar em prática suas competências humanas; o Free-LA! e o time volante trazem fator chave frente aos desafios públicos: a diversidade de perspectivas; número não é necessariamente valor: as pessoas sentem falta de ambientes de trabalho mais voltados para geração de valor do que simplesmente para números; o alto engajamento no Free-LA! e no Time Volante ajudam a desmistificar a percepção negativa de que os servidores são acomodados que não desejam aprender, desafiar-se, experimentar novas formas de trabalho e impactar as realidades dos usuários.

A lista de destaques dos “insights” continua: servidores querem aplicar metodologias, técnicas e práticas inovadoras não somente no LA-BORA!gov, mas também em suas realidades profissionais; os servidores do Free-LA! e do Time Volante não querem ser microgerenciados ou ensinados a fazer, mas querem ter clareza do resultado esperado e ser livres e autônomos para criar e experimentar os caminhos até ele; existe um sentimento de orgulho em participar do Time Volante e do Free-LA!, que se traduz pela percepção de geração de valor circular: para os usuários-cidadãos, para outros servidores e para si mesmos.

Neste primeiro ano de LA-BORA!gov, muitos processos foram testados. Aprendeu-se com os erros, e os modelos foram qualificados. Como é natural em todo o caminho é que trilhado pela primeira vez, não foi um caminho fácil, mas cheio de desafios. Os “aventureiros” que trilharam o caminho tiveram de sair de suas zonas de conforto para desbravar ambiente desconhecido, mas também instigante.

Em prol da inovação, tiveram de ser ousadas e corajosas, mas também humildes em expor as próprias vulnerabilidades. Para o LA-BORA!gov, o momento é de agradecimento pela atuação dos colaboradores, que é tão importante para o próprio laboratório quanto para o cidadão-usuário – e, também, a oportunidade de continuar a trilhar novos caminhos.

LA-BORA!gov inspira iniciativas semelhantes em outros órgãos

A Central de Compras do Ministério da Economia, por exemplo, adotou um modelo semelhante ao do Free-LA! para selecionar colaboradores para atividades voluntárias e pontuais nos seus projetos: a Central Colab.

Já no âmbito do projeto Impacta Gov – liderado pelo Departamento de Carreiras e Desenvolvimento de Pessoas (Desen/SGP/SEDGG/ME), adotou-se o modelo de time volante, a partir de edital, para selecionar servidores interessados em apoiar o desenvolvimento dos projetos sem a necessidade de cessão, requisição ou movimentação.

Por fim, sem que se esgotem todas as iniciativas que se inspiram nas modalidades de trabalho do LA-BORA!gov, o projeto “Experimentação GNova – Projeto Engajamento de servidores públicos”, da Escola Nacional de Administração Pública (Enap), recrutou parte da equipe influenciada pelo modelo de Time Volante, além de ter feito uso do banco de colaboradores Free-LA! do LA-BORA!gov, para apoiar diversas etapas do mesmo projeto.

Fonte: Portal do Servidor

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp