Ministério da Economia publica editais para compra de desktops, notebooks e monitores

Desde  sexta-feira (6/11), as empresas interessadas em fornecer estações de trabalho (desktops), equipamentos móveis (notebooks) e monitores podem enviar propostas para participar da licitação. Os pregões eletrônicos serão realizados no dia 20 de novembro e esta será a maior compra centralizada que o Ministério da Economia (ME) já realizou. A licitação prevê a compra de cerca de 268 mil equipamentos de informática – avaliados em aproximadamente R$ 1,2 bilhão – para 589 unidades de compras. Com a ação, o governo estima que serão economizados cerca de R$ 249 milhões, englobando a redução nos processos de compra e o ganho de escala.
“Esta iniciativa reforça a importância de termos um governo cada vez mais conectado não só com o cidadão, mas também com as necessidades de modernização do serviço público. Com ferramentas tecnológicas modernas, é possível aumentar a produtividade dos profissionais e entregar melhores serviços à sociedade”, explica o secretário especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do ME, Caio Mário Paes de Andrade.
A contratação disponibilizará aos servidores ferramentas tecnológicas necessárias para desempenhar as tarefas rotineiras e, também, incentivará a adoção do teletrabalho. “Os itens atualizarão os equipamentos já utilizados pelos servidores em suas atividades. Além disso, para os casos de trabalho remoto, a compra irá auxiliar que o desempenho do serviço público, prestado de forma presencial ou não e de qualquer localidade, seja de excelência”, explica o secretário de Gestão da Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do ME, Cristiano Heckert.
Por meio desse modelo de centralização de compras, será possível adquirir os equipamentos com preços iguais para órgãos grandes e pequenos, ou seja, assegurar para todos a economia de escala e a padronização dos itens. A iniciativa diminui o esforço das instituições, já que o Ministério da Economia irá conduzir a licitação e desonerar os demais órgãos do Executivo federal para que concentrem seus recursos financeiros e de pessoal em atividades finalísticas.
Posteriormente, outros órgãos poderão aderir às Atas de Registro de Preços e adquirir os produtos dentro dos limites estabelecidos.

Acesse os editais e os demais documentos para os pregões 11, 12 e 13/2020.

 
Fonte: Ministério da Economia

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp